Gestão e Reciclagem de Resíduos, Lda.
 
 
 
 

Reciclagem e Tratamento Resíduos Industriais

Entre em contacto com a nossa área comercial e conheça as nossa condições para reciclagem mistura de resíduos ( RIBS).

A Renascimento dispõe de 3 unidades de Recepção, Triagem e Valorização de Resíduos Industriais Banais (RIB)

Empresa de Recolha e reciclagem resíduos indústriais para reciclagem e tratamento

Limpeza Industrial Renascimento


A Renascimento recebe nas suas instalaes de Lisboa ( Loures ), Porto ( Aveiro ), Algarve ( Faro ) resduos indstriais banais equiparados a urbanos. Estes so sujeitos a processos de triagem, processamento e acondicionamento com vista reciclagem, produo de combustvel derivado de resduo ou deposio em aterro de resduos industriais.tratamento de lixo

O produtor de resduos responsvel pelo destino destes e est obrigado, por lei, a recolh-los, armazen-los, transport-los e entreg-los a operadores licenciados de forma a no contaminarem o meio ambiente, nem constiturem perigo para a sade humana.

Todos os detentores de resduos industriais ( RIBS) podem entregar directamente nas unidade de reciclagem de resduos da Renascimento no distrito de Lisboa, em Faro e Aveiro / Porto mediante proposta comercial.

Estes 3 centros ( Norte - Centro e Sul) disponibilizam ainda aos seus clientes o servio de recolha e transporte de resduos nas suas instalaes atravs da disponibilizao de ecopontos e contentores assim como recepcionam directamente os resduos nas suas instalaes mediante proposta comercial.

Perante uma crescente consciencializao para a melhoria da performance ambiental por parte das empresas e a necessidade de as mesmas encaminharem devidamente os seus resduos, a Renascimento apresenta solues de gesto global de resduos.

Assim a Renascimento procede ao acondicionamento, recolha, transporte e encaminhamento para destino final ambientalmente mais adequado, obedecendo ao princpio da hierarquia das operaes de gesto de resduos:

  1. A gesto de resduos deve assegurar que utilizao de um bem sucede uma nova utilizao ou que, no sendo vivel a sua reutilizao, se procede sua reciclagem ou ainda a outras formas de valorizao.
  2. A eliminao definitiva de resduos, nomeadamente a sua deposio em aterro, constitui a ltima opo de gesto, justificando-se apenas quando seja tcnica ou financeiramente invivel a preveno, a reutilizao, a reciclagem ou outras formas de valorizao.
  3. Os produtores de resduos devem proceder separao dos resduos na origem de forma a promover a sua valorizao por fluxos e fileiras.
  4. Deve ser privilegiado o recurso s melhores tecnologias disponveis com custos economicamente sustentveis que permitam o prolongamento do ciclo de vida dos materiais atravs da sua reutilizao, em conformidade com as estratgias complementares adoptadas noutros domnios.

(Decreto-Lei n. 178/2006, de 5 de Setembro, Artigo 7)