Gestão e Reciclagem de Resíduos, Lda.
 
 
 
 

Reciclagem de Resíduos de Construção e Demolição

Entre em contacto com a nossa área comercial e conheça as nossa condições para gestão de "entulhos" para particulares e empresas!

A Renascimento possui 3 unidades de triagem, processamento e reciclagem de resíduos de construção e demolição ( RC&D).

Resduos de Construo Renascimento
A Renascimento recebe nas suas instalaes resduos de construo e demolio (RCD). Estes so sujeitos a processos de transporte, triagem, processamento, reciclagem, acondicionamento, e encaminhamento para a indstria recicladora e aterro de RCD.

O produtor de resduos responsvel pelo destino destes e est obrigado por lei, a recolh-los, armazen-los, transport-los e entreg-los a operadores licenciados, de forma a no contaminarem o meio ambiente, nem constiturem perigo para a sade humana.
Todos os detentores de resduos de construo e demolio podem entregar directamente nas unidades de reciclagem de resduos da Renascimento (Norte, Centro e Sul), mediante proposta comercial.


Estes 3 centros disponibilizam ainda aos seus clientes o servio de recolha de resduos nas suas instalaes atravs da disponibilizao de contentores e mediante proposta comercial.

A rea de negcio de Reciclagem Resduos Construo na Renascimento suportada pela experincia da empresa e pelas infra-estruturas existentes e tm como um dos principais objectivos atingir elevadas metas de reciclagem e reutilizao de resduos.

A Renascimento est licenciada para o armazenamento, triagem, valorizao, e reciclagem de resduos de construo e demolio (RCD) possuindo equipamentos, meios humanos e tcnicos para essas operaes, de forma a maximizar a reutilizao e reciclagem destes produtos, visando assim dar resposta a um dos principais problemas sentidos pelo sector da construo civil em Portugal.

As metodologias de desmantelamento, demolio e gesto de resduos adoptadas pela Renascimento e pelos seus clientes permitem obter grandes taxas de valorizao dos resduos (entre 90 e 98%).
Entre as metodologias adoptadas temos a elaborao do plano de gesto de resduos, a recolha, triagem e acondicionamento dos reciclveis em primeiro lugar, seguindo-se o uso do desmantelamento e a britagem dos inertes de forma a maximizar a reutilizao e reciclagem.

Ao serem recepcionados nas unidades de reciclagem da Renascimento os resduos so sujeitos a uma operao de controlo de qualidade e em funo das suas caractersticas, qualidade, estado de contaminao com outros materiais so objecto de valorizao, reciclagem ou tratamento.

A actividade da construo civil, para alm de gerar uma quantidade muito significativa de RCD, produz resduos qumicos e fisicamente muito distintos, que podero ser classificados como perigosos, no perigosos ou inertes.

Os clientes da Renascimento podem ainda ter acesso a britadeiras que permitem a reciclagem do material em obra e reutilizar esse material como enchimento ou bases, a parte sobrante poder ser transportada para outras obras do mesmo dono de obra, ou para as unidades da Renascimento de forma a reprocess-los e permitir a sua reutilizao de acordo com a legislao em vigor.

Para obras de pequena dimenso os resduos da construo e demolio podem ser recolhidos selectivamente ou no, e so na sua maioria transportados para as instalaes da Renascimento, onde so sujeitos a operaes de triagem e processamento de forma a serem encaminhados para reutilizao,reciclagem, tratamento, incinerao ou para deposio em aterros legais.

A tipologia de resduos resultantes de uma obra de Construo Civil e das Demolies dependem da estrutura a demolir ou construir e das metodologias aplicadas nessa demolio.

Cerca de 80% dos resduos gerados so inertes limpos que podem sofrer operaes de reciclagem e serem reutilizados como bases e sub bases na prpria obra e os restantes podero vir a ser transformados em tout-venan ou britas de acordo com as normas do LNEC.

Os restantes resduos de Construo e demolio so triados em obra e depois encaminhados para as unidades de tratamento e reciclagem de RCD da Renascimento de forma a serem novamente triados e preparados para encaminhamento para valorizao, reciclagem, reutilizao ou aterro de inertes.

O transporte de resduos de construo e demolio (RCD) deve ser acompanhado de guias de acompanhamento de resduos, cujos modelos constam dos anexos I e II presente portaria, da qual fazem parte integrante.

O modelo constante do anexo I deve acompanhar o transporte de RCD provenientes de um nico produtor ou detentor, podendo constar de uma mesma guia o registo do transporte de mais do que um movimento de resduos.

O modelo constante do anexo II deve acompanhar o transporte de RCD provenientes de mais do que um produtor ou detentor.

O regime jurdico especfico para o fluxo dos resduos de construo e demolio (RCD) consta do Decreto-Lei n. 46/2008, de 12 de Maro, o qual fixa as regras para as operaes de gesto de resduos resultantes de obras ou demolies de edifcios ou de derrocadas, compreendendo a sua preveno e reutilizao e as suas operaes de recolha, transporte, armazenagem, triagem, tratamento, valorizao e eliminao.

Este diploma surge na sequncia da publicao do Regime Geral da Gesto de Resduos (Decreto-Lei n. 178/2006
, entretanto alterado pelo Decreto-Lei n 73/2011), o qual j estabelece alguns aspetos referentes a este fluxo, sendo igualmente aplicvel a legislao referente a outros fluxos especficos de resduos tais como a de embalagens, equipamentos elctricos e electrnicos, pneus usados, leos usados, etc.

Paralelamente, a obrigatoriedade de cumprimento do regime de gesto de RCD encontra-se consagrada no Cdigo dos Contratos Pblicos (elaborao de Plano de Preveno e Gesto de RCD) e no Regime Jurdico da Urbanizao e da Edificao (RJUE)

De acordo com a definio constante do Decreto-Lei n. 178/2006,
com a alterao introduzidapelo Decreto-Lei n 73/2011, entendem-se por RCD os Resduo de construo e demolio o resduo proveniente de obras de construo, reconstruo, ampliao, alterao, conservao e demolio e da derrocada de edificaes.

Do articulado daquele diploma destacam-se, neste captulo, alguns aspectos particularmente relevantes:

A gesto de RCD da responsabilidade de todos os intervenientes no seu ciclo de vida, com excepo dos RCD produzidos em obras particulares isentas de licena e no submetidas a comunicao prvia (RJUE) em que a responsabilidade recai sobre as entidades com competncia pela gesto de RSU (Cmaras Municipais).

Quando o produtor dos RCD for desconhecido a responsabilidade pela gesto recai sobre o respectivo detentor.

A responsabilidade extingue-se pela transmisso dos a operador devidamente licenciado.
O regime da gesto de RCD prev expressamente as metodologias e prticas a adoptar nas fases de projecto e de execuo de obra, nomeadamente
.

O transporte de RCD detm tambm as especificidades estabelecidas na Portaria n 417/2008, a qual determina a utilizao de guias de acompanhamento especficas para o transporte de RCD, mantendo-se, contudo, em matria de transporte, as regras estabelecidas na Portaria n 335/97, com exceo dos modelos de guia de acompanhamento de resduos.



Fluxo de gesto e reciclagem de resduos de construo e demolio:




Processo de Tratamento Entulho Renascimento